Quem foi George Nelson: o pai do design modernista nos Estados Unidos

Luminárias Bubble, sofá Marshmallow, poltrona Coconut. Talvez você não ligue de primeira os nomes aos objetos, mas provavelmente já viu as peças.

Luminárias Bubble, sofá Marshmallow, poltrona Coconut. Talvez você não ligue de primeira os nomes aos objetos, mas provavelmente já viu as peças. São alguns dos designs clássicos de George Nelson, conhecido como o pai do design modernista da metade do século passado.

 

Considerado um profissional a frente do seu tempo, Nelson trabalhou durante décadas na famosa fábrica de móveis Hermann Miller, com sede no Michigan. Ele foi selecionado para ser diretor de design da empresa na década de 1940 mesmo não tendo nenhuma experiência como designer de móveis. Ao longo de quase 30 anos de colaboração, além de desenhar peças icônicas, Nelson trouxe para a Hermann Miller alguns dos mais fortes nomes do design de móveis do século XX, como Ray e Charles Eames, Harry Bertola, Isamu Noguchi e Richard Schultz. O que muita gente não sabe é que, durante a faculdade, George Nelson não tinha a intenção de se tornar arquiteto - ou designer de móveis.

 

Arquiteto por acaso

Nelson terminou seus estudos básicos em 1924, tendo estudado apenas em escolas públicas - e logo em seguida foi aceito na Universidade de Yale, uma das mais prestigiosas dos Estados Unidos. Seu intuito original não era o de se tornar arquiteto - uma vez que no ensino superior por lá, é permitido escolher sua graduação ao longo dos anos de estudo, não é necessário escolher antes, como acontece no Brasil.

 

Um dia, tentando fugir de uma tempestade, ele entrou por acaso no prédio de arquitetura da universidade, onde os alunos organizavam uma exposição. Acabou se interessando pelo assunto - em 1928, se formava arquiteto e, em 1931, em belas artes.

 

No ano seguinte, ganhou um concurso que lhe deu uma bolsa de estudos em Roma por dois anos. Nesse período, teve contato com grandes nomes do modernismo, como Mies Van Der Rohe. Na mesma época, despontava também Frank Lloyd Wright, sobre o qual comentamos por aqui no artigo anterior. Os dois não se conheciam ainda, mas viriam a trabalhar juntos nos Estados Unidos anos mais tarde.

 

Peças icônicas

Como diretor de design da Herman Miller, a partir da década de 1940, Nelson começou a projetar peças - como as lâmpadas Bubble, o sofá Marshmallow, o banco Plataforma e a primeira mesa em forma de L (uma precursora das estações de trabalho modernas). A maioria delas se tornou bastante popular no mercado imediatamente.

Isso serviu para estabelecer Nelson ainda mais como um designer notável e ajudou a consolidar o nome da Herman Miller na indústria de design de móveis modernos da metade do século. No entanto, sendo ele um profissional inquieto e ambicioso, o escopo de interesse do design de Nelson se expandiu além do trabalho com a empresa.

 

Em 1946, ele abriu também seu próprio escritório de design (George Nelson & Associates), por meio do qual produziu várias outras peças hoje consideradas clássicas. Em 1957, Nelson colaborou com a empresa suíça Vitra, uma das grandes fabricantes de mobiliário até hoje. Seu objetivo era levar objetos de design moderno para a casa americana típica. Nesse período, ele desenhou uma grande variedade de relógios, lâmpadas e vários outros itens domésticos.

A Artesian, inclusive, em seu portfólio, uma linha de peças que são um tributo a ele.

 

Comunicador do modernismo

Nelson é conhecido até hoje como um grande comunicador do design modernista, uma vez que além dos trabalhos diretamente ligados ao design, ele passou a vida toda lecionando, palestrando, viajando e fotografando. Dizem que ele e sua câmera fotográfica, inclusive, eram inseparáveis. Ele é reconhecido como um dos grandes responsáveis pelo florescimento e difusão da indústria norte-americana de móveis.

 

Seus designs tinham por objetivo oferecer soluções simples para desafios da vida cotidiana. Para ele, a casa comum era uma oportunidade para criar ambientes funcionais e de fácil manutenção. Ele contribuiu também para melhorar os ambientes de trabalho, para que se tornassem mais confortáveis e práticos. Ele faleceu aos 77 anos em Nova York.

 

E se você se interessa pelo design modernista, continue de olho aqui no blog da Artesian - continuaremos abordando o assunto nas próximas semanas. 

 

Categoria: Designers

Publicado em: 17/11/2020

Leia Também

Quem foi Hans Wegner? Conheça um pouco da vida e obra do rei das cadeiras

Ao longo das últimas semanas, exploramos aqui no blog da Artesian um pouco da riqueza e das particularidades do design dinamarquês. E falar desse assunto sem mencionar o nome de Hans Wegner é praticamente impossível.

Leia mais

24/09/2020

Móveis de Designers Brasileiros

Os móveis de design brasileiros estão se tornando uma tendência mundial e conquistando um espaço de destaque cada vez maior em eventos e feiras internacionais.

Leia mais

07/07/2020

Jaime Lerner

O arquiteto curitibano Jaime Lerner foi eleito em 2018 como o segundo urbanista mais influente de todos os tempos. Seu projeto Chaise Urca é produzido exclusivamente pela Artesian.

Leia mais

02/09/2019

Hans J. Wegner

O designer Hans J. Wegner fez história ao aliar funcionalidade e beleza em seus projetos, recebendo, ao longo de sua carreira, o título de “mestre das cadeiras”.

Leia mais

20/08/2019

Charles & Ray Eames

Charles & Ray Eames foram um casal de designers americanos que, juntos, reinventaram o mercado de mobiliário moderno e elegante. Conheça algumas peças dos Eames vendidas na Artesian.

Leia mais

02/09/2019

O legado de Florence Knoll

Com criações modernas e elegantes, Florence Knoll fez história no design americano. Conheça mais do estilo de uma das arquitetas mais importantes do século XX.

Leia mais

02/09/2019